América

Fui à América, mas foi como se tivesse ido a Santo António dos Cavaleiros. Nova Iorque é uma cidade com grande dinamismo, teatros, concertos, lojas, gente, muita gente, museus de fazer perder a cabeça. Mas é muito prédio sem graça. Times Square à noite parece a Amadora ao fim-de-semana só que com mais gente ainda e prédios mais altos. Adoro Paris, Berlim, Roma, Barcelona, onde a cada passo me delicio com belezas arquitectónicas. Em NY fartei-me de prédios espelhados, grandes e vertiginosos. E respirei de alívio quando entrei na Igreja de S. Patrick, ali entalada no meios dos arranha-céus. Nas cidades referidas sento-me deliciado a olhar pessoas elegantes, giras, diferentes. Em NY achei tudo igual, elas e eles muito sem graça. A excepção foi Greenwich Village, um último reduito de cromos e poetas, ou poetas-cromos, como preferirem.

A América nunca me atraiu e não tenho grande vontade de voltar. Já Berlim, dezenas de vezes não me chegam. Quanto a Paris comprava o passe para lá ir de quinze em quinze dias. E no que toca a Barcelona fazia click e punha-me lá em três tempos. Mas Nova Iorque falta-lhe ali a monunentalidade histórica da Europa. Quando mais vou ao Novo Mundo mais gosto da Europa . Manias!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.