Mãe negra

Madonna fez mais pela divulgação da música negra de expressão portuguesa e crioula do que muitos

Chegou de armas e bagagens a Lisboa e com as chuteiras do filho no saco e fez mais pela divulgação da música negra de expressão portuguesa e crioula do que muitos. E com isso devolveu a dignidade a quem merecia um pouco mais de reconhecimento por fazer desta Lisboa uma cidade multicultural. verdadeiramente global. Mas não ganhou medalhas, ganhou antes uma certa indiferença. A Lisboa branca não lhe perdoou. Em vez de frequentar os salões nobres da nação embrenhou-se em jam-sessions com fadistas, músicos e cantores negros, bailarinas e batucadeiras. E subiu ao palco numa série de concertos onde abriu os palcos a essa música tantas vezes esquecida. Madonna veio a Lisboa e não embarcou na feira de vaidades da capital, preferindo a feira das verdades, dos ritmos espontâneos e quentes e a Lisboa branca não lhe perdoou, votou-a a um certo ostracismo, invejou-lhe os lugares de estacionamento e não a acariciou por aí além. E Madonna couldn’t care less. Diz quem sabe e quem vê, e está bem visível para quem ouve e vê as suas mais recentes produções, que ela se divertiu à grande, trocando o Portugal empertigado preferindo os sons de África que estão por todo o lado.

Carlos Tomé Sousa

Leave a Reply

Your email address will not be published.